Afinal, porque estamos aqui?

Desde o princípio o plano de Deus foi para que cumpríssemos os seus propósitos em COMUNIDADE.
Antes de você nascer, Deus o escolheu para ser uma pessoa que faz a diferença, e para causar um impacto positivo com a sua vida. Ele tem um propósito para você na COMUNIDADE Dele.
Você está disposto a dar o próximo passo para construir uma vida de propósito e significado?

Junte-se a nós, pois juntos, somos melhores!

 – Disciplinas espirituais

 – Evangelismo

 – Comunhão

 – Edificação Familiar

 

Disciplinas Espirituais – Orar junto dos intercessores da Igreja cedo pela manhã ao alvorecer. Anotar os motivos de oração do culto de oração e interceder por eles.Orar e jejuar por 07 alvos evangelísticos realizando algum ato de graça em favor dos mesmos. Ler estudando o evangelho de Marcos e a Carta de Paulo aos Filipenses.

Evangelismo – Orar para que Jesus te dê discípulos. Evangelizar pessoas que são da sua convivência e são sem-igreja (porque não conhecem a Cristo ou porque estão afastados da Igreja). Convide seus alvos missionários para estarem conosco em nossas celebrações.

Comunhão – Convide duas famílias da igreja com as quais sinta que precise aprofundar os laços do amor fraterno, para compartilhar o pão juntos.

Decidimos compartilhar o pão com os irmãos: _______________________________, _________________________________ e _________________________________.

Edificação Familiar – Teremos festas temáticas e celebrações inspiradoras para toda a família. Convide seus alvos missionários, familiares e amigos.

JUNTOS SOMOS MELHORES!

Jesus andou sobre a terra para promover a reunião.  Fomos reunidos a Deus novamente, após sermos separados pelo pecado, por sua Graça. Os discípulos já experimentaram o desafio de seguir a Jesus durante seu ministério terreno: haviam pescadores, publicanos, doutores, construtores etc. Com suas visões de mundo e propósitos de vida totalmente unidos em uma causa: a do Evangelho. Além dessas diferenças de filosofias de vida havia a diferença de temperamentos: Pedro sanguíneo, Paulo colérico, João fleumático. Sem duvida alguma demandou muito esforço conjunto para que essa fundação que Jesus inaugurava pudesse funcionar, mas funcionou, tanto que ela está pelo mundo todo e não há maior organização do que ela na terra: a Igreja.

Com o poder de Deus temos imensa vantagem. Quando compreendemos que não somos nós mais que vivemos, mas ambicionamos viver a vida de Jesus, renunciamos a nós mesmo, dando vazão à atuação de Seu Santo Espírito: Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. Gálatas 2:20

Sem essa filosofia de vida é simplesmente impossível designar-se cristão. Pois enquanto o velho homem está no trono, Jesus não o ocupa. De posse destas certezas bíblicas, precisamos tomar posição nas diversas frentes da obra missionária, cuja nossas vidas são preponderantes:

CORAÇÃO VOCACIONADO AO PERDÃO

“Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoandose mutuamente, assim como Deus os perdoou em Cristo Ef 4.32 É impossível viver em comunhão sem perdão. Como cristãos, somos chamados a nos reconciliar uns com os outros: Tudo isso provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação. 2 Coríntios 5:18. Precisamos constantemente perdoar e receber perdão uns dos outros para que não sejamos dominados por excessiva tristeza. Aqui estão alguns passos a serem dados em direção ao perdão:

  • Peça a Deus em oração, força e sabedoria para ministrar o perdão e apaziguar relações estremecidas.
  • Tome a iniciativa. Seja você o ofensor ou o ofendido, Jesus disse que devemos dar o primeiro passo. Ele deu o exemplo maior perdoando-nos.
  • Confesse sua responsabilidade no conflito. Se quer seriamente restaurar o relacionamento, deve começar admitindo seu próprios erros ou pecados. Para pensar e agir: Deus nos chamou a sermos construtores de pontes e não muros. Deus derruba muros de inimizades.

 

GENEROSIDADE INTENCIONAL

“Os que criam mantinhamse unidos e tinham tudo em comum Atos 2.44

Você possui mais capacidade de compartilhar do que imagina. A Igreja desde seu início sempre foi uma comunidade generosa, ainda que fossem recheados de pessoas simples. Em algum irmão, tendo necessidade, havia união para suprir dando dignidade.

Alguns cristão foram dirigidos pelo Espirito Santo a se desfazer de bens em excesso, buscando abençoar os que nada tinham (atos 4.34,35).

O que você pode doar a um irmão necessitado? Roupas em excesso guardadas no armário; Uma coleção de calçados dos quais não se usa a metade; Um notebook velho que possa servir para um adolescente estudar; franquear um acampamento a um jovem no verão; milhas de voo acumuladas a alguém que nunca andou em avião; um presente de casamento repetido; uma casa de férias vazia, uma garagem, uma vaga no carro a um irmão do bairro que não possui.

Tudo pertence a Deus e, ao doar faça de coração agradecido, jamais sob pressão ou constrangimento. Doar nos deixa mais parecidos com Deus. Ele é um doador nato.

 

 

HUMILDADE COMO ESTILO DE VIDA

“… jovens, sujeitem‐se aos mais velhos. Sejam todos humildes para com os outros, porque “Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes” I Pe 5.5

Precisamos lembrar constantemente de esquecer de nós mesmos. A razão de tanta ansiedade neste mundo é o excesso de olhar para si mesmo. Nada gera mais depressão e doenças psicossomáticas do que a auto piedade.

A vida do servo do Senhor requer humildade, ou capacidade de esquecer‐se de si mesmo com vistas a ajudar aos outros: Cada um cuide, não somente dos seus interesses, mas também dos interesses dos outros. Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus. Filipenses 2:4,5

Devemos ter a Jesus como um espelho, quanto à capacidade de servir. A carta aos Filipenses salienta que embora “sendo Deus” voluntariamente assumiu a natureza de servo (Fl 2.6,7).  Quando alguém nos conta alguma necessidade, há que haver em nosso coração a constante pergunta“como posso ajudar?” (Rm 15.2) Jesus não se importou em ser confundido com um servo. E você?

VIDA DE ADORAÇÃO

“Nisto conhecemos o que é o amor: Jesus Cristo deu a sua vida por nós, e devemos dar a nossa vida por nossos irmãos”. I Jo 3.16

Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês.
Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.
Romanos 12:1,2

Adorar a Deus é apresentar-se como um sacrifício vivo. Nosso sacrifício semelhante ao de Cristo deve ser:

  1. Voluntário. Jesus disse que sua vida não seria tirada dele, mas que a entregaria livremente: (Jo 10.18)
  2. Generoso. O rei de Israel, Davi, disse que não ofereceria sacrifícios a Deus que não lhe custassem nada (2 Sm 24.24)
  3. Constante. Devemos nos derramar uns pelos os outros em atitudes de amor (Ef. 4.2)

A quem posso refletir o amor de Jesus ao longo desta semana?

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.