MISSÃO

Ser uma comunidade de fé e amor em Jesus Cristo, glorificando a Deus em tudo o que fazemos.

VISÃO

Ser uma comunidade Cristã contemporânea, útil à sociedade, que adora ao Senhor em espírito e em verdade, ensina para transformação, e gera ministros eficazes que priorizam a evangelização e a comunhão.

VALORES

Devoção
Cremos que numa vida de total devoção a Deus. Inclui-se aqui a oração, jejuns, meditação na Palavra e louvor. (Atos 1.14; Romanos 12.1,2; Mateus 6; 2 Timóteo 2.15; Salmo 40.3)

Dons
Cremos no envolvimento de cada cristão no serviço do Senhor, conforme os dons dados pelo Espírito Santo, e de acordo com os diferentes estilos de cada pessoa. Com o fim de  edificar a Igreja e glorificar a Deus. Cremos que cada cristão é um ministro que tem algo a agregar no Reino. (Colossenses 3.24; Efésios 4; 1 Coríntios 12.14; 1 Pedro 4.10,11)

Ensino Bíblico
Cremos que a Bíblia é o parâmetro de partida para a ética frente à sociedade. Sendo a pregação da verdade a base da transformação do indivíduo e da comunidade. Uma mensagem culturalmente relevante e doutrinariamente bíblica. (Romanos 12.7, 2Timóteo 3.16,17; Tiago 1.23-25)

Pessoas
Cremos que criados à imagem e semelhança de Deus, os seres humanos ocupam lugar de primazia na criação. Portanto, todas as pessoas são importantes para nós e devemos amá-las desenvolvendo relacionamentos significativos com elas. (Gênesis 1.26-31; João 3.16; Lucas 19.10; Atos 20.35)

Família
Cremos que lares fortes contribuem profundamente para uma igreja forte. A família tradicional aos moldes bíblicos é a base da sociedade. Assim, nossa prioridade deve ser Deus, família, e depois o trabalho e o ministério. (Deuteronômio 6.1-9).

O QUE CREMOS

QUEM SOMOS

Os discípulos de Jesus Cristo, que vieram a ser designados pelo nome Batista, se caracterizavam pela sua fidelidade às Escrituras e por isso só recebiam em suas comunidades, como membros atuantes, pessoas convertidas pelo Espírito Santo de Deus. Somente essas pessoas eram por eles batizadas e não reconheciam como válido o batismo administrado na infância por qualquer grupo cristão, pois, para eles, crianças recém-nascidas não podiam ter consciência de pecado, regeneração, fé e salvação. Para adotarem essas posições, eles estavam bem fundamentados nos Evangelhos e nos demais livros do Novo Testamento. A mesma fundamentação tinha todas as outras doutrinas que professavam. Mas sua exigência de batismo só de convertidos é que mais chamou a atenção do povo e das autoridades, daí derivando a designação “batista” que muitos supõem ser uma forma simplificada de “anabatista”, “aquele que batiza de novo”.

A designação surgiu no século 17, mas aqueles discípulos de Jesus Cristo estavam espiritualmente ligados a todos os que, através dos séculos, procuraram permanecer fiéis aos ensinamentos das Escrituras, repudiando, mesmo colocando em risco a própria vida, os acréscimos e corrupções de origem humana.

CONVICÇÃO

A Bíblia é a Palavra de Deus em linguagem humana. Nossa convicção é tê-la como única regra de fé e conduta.
A Bíblia Sagrada é o registro da revelação que Deus fez de si mesmo aos homens;
Sendo Deus seu verdadeiro autor, foi escrita por homens inspirados e dirigidos pelo Espírito Santo;
Tem por finalidade revelar os propósitos de Deus, levar os pecadores à salvação, edificar os crentes e promover a glória de Deus; (2 Timóteo 3.15-17; 2 Pedro 1.21)

DEUS
O único Deus vivo e verdadeiro é Espírito pessoal, Eterno, Infinito e Imutável; é Onipotente, Onisciente, e Onipresente; é perfeito em Santidade, Justiça, Verdade e Amor. É o Criador, Sustentador, Redentor, Juiz e Senhor da história e do universo, que governa pelo Seu poder, dispondo de todas as coisas, de acordo com o Seu eterno propósito e graça;
Deus é infinito em santidade e em todas as demais perfeições;
Por isso, a Ele devemos todo o amor, culto e obediência;
Em sua triunidade, o eterno Deus se revela como Pai, Filho e Espírito Santo, pessoas distintas mas sem divisão em sua essência. (1 Pedro 1.17; Deuteronômion 6.4; Mateus 28.19)

JESUS CRISTO
O salvador é um em essência com o Pai, é o eterno Filho de Deus.
Nele, por Ele e para Ele foram criadas todas as coisas. Na plenitude dos tempos, Ele se fez carne, na pessoa real e histórica de Jesus Cristo, gerada pelo Espírito Santo e nascido da Virgem Maria, sendo, em Sua pessoa, verdadeiro Deus e verdadeiro homem.
Jesus é a imagem expressa de  Deus Pai, em sua revelação suprema ao homem. Ele honrou e cumpriu plenamente a lei divina e revelou e obedeceu toda a vontade de Deus. Identificou-se perfeitamente com os homens, sofrendo o castigo e expiando a culpa de nossos pecados, conquanto Ele mesmo não tivesse pecado;
Para salvar-nos do pecado, morreu na cruz, foi sepultado e ao terceiro dia ressurgiu dentre os mortos e, depois de aparecer muitas vezes a seus discípulos, ascendeu aos céus, onde, à destra do Pai, exerce o Seu eterno sumo sacerdócio.
Jesus Cristo é o único Mediador entre Deus e os homens e o Único e Suficiente Salvador e Senhor;
Pelo seu Espírito ele está presente e habita no coração de cada crente e na Igreja. Ele voltará visivelmente a este mundo em grande poder e glória, para julgar os homens e consumar sua obra redentora. (Mateus 1.18-23; João 14.1-9; 1 Tessalonicenses 4.13-18)

ESPÍRITO SANTO
Um em essência com o Pai e com o Filho, é pessoa divina.  É o Espírito da verdade;
Atuou na criação do mundo e inspirou os homens a escreverem as Sagradas Escrituras. Ele ilumina os homens e os capacita a compreenderem a verdade divina. No dia de Pentecostes, em cumprimento final da profecia e das promessas quanto à descida do Espírito Santo, Ele se manifestou de maneira singular, quando os primeiros discípulos foram batizados no Espírito, passando a fazer parte do Corpo de Cristo, que é a Igreja. Suas outras manifestações, constantes no livro Atos dos Apóstolos, confirmam a evidência de universalidade do dom do Espírito Santo a todos os que creem em Cristo. O recebimento do Espírito Santo sempre ocorre quando os pecadores se convertem a Jesus Cristo, que os integra, regenerados pelo Espírito, à Igreja.
Ele dá testemunho de Jesus Cristo e o glorifica. Convence o mundo do pecado, da justiça e do juízo. Opera a regeneração do pecador perdido. Sela o crente para o dia da redenção final;
Habita no coração do crente. Guia-o em toda a verdade, capacitando-o a obedecer a vontade de Deus. Distribui dons aos filhos de Deus para a edificação do Corpo de Cristo e para o ministério da Igreja no mundo.
Sua plenitude e seu fruto na vida do crente constituem condições para uma vida cristã vitoriosa e com propósitos divinos. (Isaías 61.1-3; Atos 2.38-39; Efésios 5.16-25)

O HOMEM
Por um ato especial, o homem foi criado por Deus à Sua imagem e conforme a Sua semelhança e disso decorrem o seu valor e dignidade. Seu corpo foi feito do pó da terra e para o mesmo pó há de voltar. Seu espírito procede de Deus e para ele retornará. O criador ordenou que o homem domine, desenvolva e guarde a obra criada;
O homem foi criado para a glorificação de Deus e, por causa do pecado, somente crendo em Jesus pode cumprir esse propósito. Seu propósito é amar, conhecer e estar em comunhão com seu Criador, bem como cumprir Sua divina vontade, como Jesus fez.
O homem é ser pessoal e espiritual. O homem tem capacidade de perceber, conhecer e compreender, ainda que em parte, intelectual e experimentalmente, a verdade revelada, e tomar suas decisões em matéria religiosa, sem mediação, interferência ou imposição de qualquer poder humano, seja civil ou religioso. É a coroa da criação divina!
(Gênesis 1.26-31; João 1.4-13; Romanos 8.37-39)

A SALVAÇÃO
A salvação é concedida por Deus pela Sua graça, mediante arrependimento do pecador e da sua fé em Jesus Cristo como único Salvador e Senhor.
O preço da redenção eterna do crente foi pago de uma vez por Jesus Cristo, pelo derramamento do seu sangue na cruz. A salvação é individual e significa a redenção do homem na inteireza do seu ser. É um dom gratuito que Deus oferece a todos os homens e que compreende a regeneração, a justificação, a santificação e a glorificação.

(Marcos 16.16; João 3.16; Atos 11.18)

REINO DE DEUS
O Reino de Deus é o domínio soberano e universal de Deus e é eterno. É também o domínio de Deus no coração dos homens que, voluntariamente, a Ele se submetem pela fé, aceitando-o como Senhor e Rei. É, assim, o reino invisível nos corações regenerados que opera no mundo e se manifesta pelo testemunho dos seus fiéis. A consumação do reino ocorrerá com a volta de Jesus Cristo, em data que só Deus conhece, quando o mal será completamente vencido e surgirão o novo céu e a nova terra para a eterna habitação dos remidos com Deus;
(Daniel 2.37-44; 1 Coríntios 15.24; João 3.3-5)